‘Lembrar para não esquecer e jamais repetir’: evento marca os 60 anos do Golpe de 1964

Diminua até 40% nos Contratos de Financiamento. Aproveite e Baixe o Valor das Prestações do seu Automóvel Hoje!

‘Lembrar para não esquecer e jamais repetir’: evento marca os 60 anos do Golpe de 1964

Sem tempo para ler? Ouça o Post aqui...
Getting your Trinity Audio player ready...
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella
Foto: Bruno Mirandella

Com o mote “Lembrar para não esquecer e jamais repetir”, a Comissão de Justiça de Transição e Memória  (CJTM) da OABRJ abordou os 60 anos do golpe militar de 1964 com um evento nesta segunda-feira, dia 1º de abril, data redonda do início da ditadura militar.

Assista ao encontro na íntegra pelo canal da Seccional no YouTube. 

O presidente da comissão, Jorge Folena, destacou a importância de se rememorar os acontecimentos para que não sejam apagados da memória coletiva dos brasileiros. 

“Temos o que eu chamo de passado não resolvido. Portanto, é preciso sempre relembrar o golpe para que nunca mais tenhamos no país algo como foram os 21 anos sob ditadura militar, que foi uma consequência de uma história colonial repassada através dos séculos e que o país ainda não solucionou”, disse Folena.

Compuseram a mesa os integrantes da Diretoria da OABRJ: a vice-presidente, Ana Tereza Basilio; o secretário-geral, Álvaro Quintão; e a secretária-adjunta, Mônica Alexandre Santos. O diretor do Centro de Documentação de Pesquisa da Seccional e vice-presidente da CJTM, Aderson Bussinger, também participou do painel.

“A OAB, casa da democracia, esteve presente nos momentos mais duros da ditadura militar. Na época, houve um atentado contra o presidente da OAB, Eduardo Seabra Fagundes, que vitimou a funcionária Lyda Monteiro, pois ela abriu a carta-bomba endereçada a ele”, relembrou Basilio.

“Uma das principais missões da Ordem é o respeito intransigente ao Estado democrático de Direito. Lembramos que esta casa foi uma das vítimas da ditadura e afirmamos que não queremos que esse momento se repita. Sempre estaremos na vanguarda da batalha contra a arbitrariedade, o abuso de poder ou qualquer atentado a essa conquista democrática”.

Sobre o golpe de 1964 e suas consequências, o professor de história da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e integrante da Casa da América Latina Lincoln Penna explicou alguns dos episódios que impulsionaram o ato golpista, como a destituição de João Goulart do cargo de presidente da República empossado, João Goulart.

“Nossa cultura política é reacionária e conservadora, então, o temor de qualquer mudança assusta, principalmente, os segmentos intermediários, a chamada classe média que aspira se tornar uma classe dominante”, comentou Penna.

“Ao fechar a sessão no Congresso Nacional, Auro de Moura Andrade – responsável por declarar vaga a presidência da República em 1964 -, o Poder Legislativo de forma geral homologou o golpe militar. Desde a Proclamação da República, os militares se consideravam os garantidores da República, com direito de intervir quando, como e onde quisessem. Disso resultou na articulação que vimos há 60 anos”.

Outros aspectos do pós-golpe, início de uma época de censura e execuções por parte de agentes do governo militar, também foram debatidos no encontro, como o Ato Institucional nº 1 de 1964, que violentou a ordem constitucional posta, por exemplo. 

Os palestrantes foram: Aderson Bussinger, o professor de Direito Constitucional da Universidade Cândido Mendes (Ucam) e membro da CJTM, Sérgio Sant’Anna; a jornalista Denise Assis; o coordenador do Centro de Memória do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santo  ngelo/RJ, Paulo Joel Bender Leal; e o dramaturgo Amir Haddad, que dirige a peça teatral “Re-acordar”, do Grupo Tucaarte.

Local de Exibição: 
Fonte/Autor: 
Biah Santiago
Oculta das Listagens: 
Não

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =

Descubra mais sobre Programa Revisional 2.0

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading